Entendendo o marketing político: conceito e aplicação

TREINE SUA EQUIPE!

TREINE SUA EQUIPE!

CONSULTORIA EFICIENTE!

CONSULTORIA EFICIENTE!

marketing político

Hoje vamos falar de marketing político. Essa é uma aérea do marketing muito importante, especialmente para aqueles que concorrem a cargos públicos ou pretendem concorrer. E claro, também é imprescindível que aqueles que trabalham com marketing conheçam melhor o assunto.

Como em qualquer outro setor que lida diariamente com o público, em política também a construção de uma estratégia bem formulada pode levar a um melhor alcance de resultados. Afinal, você até pode ter boas ideias, mas é preciso saber transformar cada uma delas em projetos viáveis e saber também como apresentar tudo isso ao público eleitor.

E isso se aplica não somente ao pleito em si, mas também no chamado marketing político eleitoral. As estratégias eleitorais começam muito antes dos 45 dias que antecedem as eleições, e todo bom político sabe disso.

E em tempos de novas tecnologias da informação formular estratégias de marketing político tem se tornado uma questão cada vez mais essencial. Com o amplo acesso a internet, redes sociais e as temidas fake news, os candidatos e todos aqueles que transitam pelo universo político precisam ficar alertas.

Vamos entender isso melhor a seguir.

1. O que é o marketing político

De forma simples, para facilitar o entendimento, podemos definir o marketing político como o conjunto de ações e estratégias voltadas  à construção de uma imagem positiva em torno de um projeto, organização ou agente público.

Ou seja, essa forma de marketing não se destina somente aos tempos de eleição, mas pode e deve ser aplicada durante todo o mandato de um representante público eleito.

E mais, serve também para promover positivamente os órgãos públicos, sejam eles federais, estaduais ou municipais, melhorando sua credibilidade e construindo um vínculo mais próximo com a comunidade local e a sociedade de forma geral.

O foco de qualquer estratégia de marketing político é conquistar a simpatia e apoio popular. Ou seja, com um bom conjunto tático de ações o candidato pode se destacar frente aos demais durante o pleito eleitoral, e uma vez eleito pode manter o índice de aprovação de seu governo auto.

Portanto, o ponto chave aqui é a comunicação do candidato com o eleitor. E isso não é importante somente para os candidatos, mas para toda a população, pois torna-se inviável entender as propostas de qualquer candidato e até mesmo acompanhar o desempenho dele no mandato depois se esse político não sabe fazer um bom marketing.

Portanto:

  1. O marketing político é importante para a campanha eleitoral;
  2. É relevante para manter a popularidade do candidato eleito;
  3. É necessário para a sociedade compreender as propostas dos políticos e acompanhar seu desempenho no cargo.

Diferentes estratégias, um ponto comum

Antes de falarmos propriamente das estratégias do marketing político, precisamos explorar um pouco mais o seu conceito e relevância.

Assim como em qualquer forma de marketing a comunicação clara e eficiente é essencial. Qualquer pessoa pode ter ótimas ideais, mas nem todo mundo sabe como demonstrar isso aos demais. E de nada adianta você ter muito a oferecer se as pessoas não conseguem lhe entender e, portanto, não estão dispostas a aceitar.

É bem verdade que o objetivo aqui pode variar, pode ser a busca pela eleição em uma campanha bem planejada, pode ser a busca por manter a popularidade já ocupando o cargo, pode ser ainda a busca por melhorar a imagem de uma instituição público, de um governo ou até mesmo recuperar a imagem manchada por erros do passado de um dado político.

Todas essas coisas são possíveis. Porém, há um ponto comum em todas elas: toda estratégia de marketing político quer conquistar o respeito, a admiração e a preferência das pessoas moldando assim a opinião pública ao seu favor.

Para entender melhor a importância do que estamos falando dá uma olhada nesse estudo Do Marketing ao Político.

A verdade é que em muitos pontos o setor político tem muito em comum com o marketing em si.

  1. É preciso se destacar da concorrência;
  2. É preciso comunicar mensagens claras com conteúdo relevante ao público alvo;
  3. É preciso cuidar da própria imagem exatamente como cuida-se da boa reputação de uma marca.

2. Marketing político versus marketing eleitoral

É importante entender que o marketing político é muito mais amplo que o chamado marketing eleitoral. Esse último pode ser entendido como uma esfera do primeiro, pois visa ações concebidas para um curto prazo focadas na conversão de votos na urna.

Mas, mais que ganhar uma eleição, é preciso conquistar o eleitor mantendo uma boa imagem. É preciso também estar presente no dia a dia do eleitorado depois de eleito e até mesmo pensar na imagem do governo como um todo.

Nesse contexto, aqueles que pensam somente no marketing eleitoral em si podem até vencer uma eleição, mas correm sério risco de perder muito em popularidade o que não apenas prejudica o mandato em andamento, como pode inviabilizar uma eleição futura.

Esse é um princípio claro da democracia. Se a sociedade não está satisfeita com um de seus representantes ela tem todo o direito de não reelege-lo. E se essa mesma sociedade não consegue entender os projetos desse candidato em sua eleição, ela também tem o direito de não votar nele.

E esse é um ponto crucial: marketing político não é sair pedindo votos e mais votos. É muito mais do que isso, muitas vezes é não pedir voto nenhum, pois se você conquistar o eleitor com sua imagem e reputação já está conquistando muitos votos com isso.

O marketing político nos dias de hoje

E isso não é tudo, pois a sociedade atual tem um elemento a mais: a internet e as novas tecnologias.

O eleitor moderno é um individuo conectado. Ele usa a internet diariamente, tem acesso a informação, está nas redes sociais, faz uso de aplicativos como Whatsapp, e consequentemente é muito mais exigente e muito mais bem informado.

Portanto, as estratégias de marketing político hoje em dia precisam levar em conta a questão digital. É preciso estar presente onde o eleitor está, e se a sociedade está na internet, candidatos e instituições públicas também precisam marcar presença por lá.

Alguns pontos precisam ser levados em questão:

  1. O eleitor é um indivíduo com fácil acesso a informação;
  2. É preciso dialogar com as linguagens digitais na mesma que língua que o público;
  3. É preciso ter um bom nome e uma boa reputação também nas mídias digitais;
  4. É preciso fazer a ponte entre o mundo off-line e o mundo online, transitando entre os diversos veículos de comunicação.

3. Estratégias de marketing digital

Portanto, quando se trata de boas práticas em política existem algumas estratégias próprias que precisam ser colocadas em ação. Pensando nisso, selecionamos um conjunto de dicas para aplicação de um marketing político de sucesso.

Acompanhe.

Crie sua própria marca política

Você conhecer seu ponto forte e transformar ele em sua marca pessoal. Qual seu principal interesse na política? Você é um ávido defensor de direitos? Um partidário de políticas ambientais? De repente, seu foco seja atuar na saúde, na educação ou segurança.

Seja qual for o seu foco, transforme isso na sua identidade pessoal. Destaque como seu principal projeto, seja conhecido por isso. É a sua marca.

E claro, não adianta escolher como marca um assunto que não seja de interesse social.

Construa sua comunidade

Ninguém se elege sozinho. Do mesmo modo ninguém se mantém no poder sozinho, sem aprovação popular e ajuda. É preciso fazer aliados e ter o eleitorado lado a lado.

Antigamente, a única forma de fazer era através da militância política. Mas, hoje existem ferramentas que facilitam o processo: as mídias sociais online como o Facebook e o WhatsApp podem ser aproveitas aqui. Crie grupos, tenha uma página no Facebook, interaja com o público.

É mais barato, exige menos tempo e pode-se alcançar um número muito maior de pessoas apenas com as ferramentas online.

Mas, calma se esse não é o seu forte, dá uma olhada aqui Marketing digital simplificado.

Priorize o conteúdo e esteja presente no cotidiano do público

Produza material de qualidade, use recursos como um blog ou site pessoal, alimente isso periodicamente e claro, divulgue seu conteúdo publicamente, em redes sociais, ferramentas de busca e até mesmo use isso como fonte de inspiração para aquele discurso público ou sua campanha na TV.

Fale sobre seus projetos, apresente soluções, mostre ao eleitor que você entende as necessidades dele e tem todo o conhecimento necessário para estar a frente do cargo que pretende ocupar.

E mesmo quando a coisa ficar difícil não suma. Apareça, fale sobre o acontecimento, se errou reconheça o erro e destaque como você vai melhorar dali em diante. Traga soluções e deixe claro que entende do assunto.

Marketing político, comunicação e boas relações

Por hoje essas foram as nossas dicas. Como deu para perceber, o marketing político é muito importante para candidatos e para toda a sociedade.

E como não poderia deixar de ser, suas estratégias se ligam cada vez mais ao mundo digital.

Lembre-se: marketing é comunicação ativa, presença e o estabelecimento de uma relação com o público.

CONSULTORIA EFICIENTE!

CONSULTORIA EFICIENTE!

TREINE SUA EQUIPE!

TREINE SUA EQUIPE!

There are no comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart