Buzz Marketing: você sabe o que é?

0
buzz marketing

Hoje vamos falar do Buzz Marketing, uma estratégia muito eficaz para promover o seu empreendimento, seja ele qual for. Hoje em dia muitas empresas enfrentam o mesmo problema quando o assunto é publicidade digital: a dificuldade em alcançar internautas que já não dão mais atenção aos anúncios tradicionais.

A verdade é que todas as marcas só querem ser bem faladas, estar na boca do povo. Nenhuma empresa deseja ficar no esquecimento, se o consumidor não fala sobre você, ele não vai indicar o seu produto e o seu serviço, e pior, o nome do seu negócio não vai circular por ai e a maioria das pessoas pode não saber sequer que você existe!

Se você está enfrentando esse problema e mesmo que não esteja, precisa conhecer melhor o Buzz marketing. Entenda o porque a seguir:

1. Buzz Marketing: conceito e definição

O buzz marketing é uma vertente especializada em fazer com que as pessoas, o público consumidor, fale e comente sobre as marcas e as empresas. É um conjunto de estratégias para que um produto ou serviço seja discutido e divulgado pelo próprio público.

O Buzz Marketing foi inspirado no costume que os artistas circenses tinham de promover um verdadeiro burburinho nas ruas, dando uma amostra de suas apresentações e anunciando o show.

Em uma época sem internet e sem televisão, essa era a única forma que os circos tinha de garantir público para seus shows sempre que chegavam em uma nova cidade.

Fazer um burburinho da sua marca, chamando atenção e fazendo as pessoas comentarem sobre elas é justamente o que essa vertente do marketing, quando bem aplicada, faz por você. E todo esse burburinho pode resultar em mais reconhecimento e vendas para o seu negócio.

Aliás, a palavra “buzz” vem do inglês e significa justamente burburinho, rumor e murmúrio. O objetivo é justamente estimular as pessoas a propagarem uma ideia, uma mensagem e divulgarem por ai, e claro, sem pedir nada em troca por isso!

Achou essa ideia interessante? Então talvez você também goste do Brand Marketing.

Portanto, esta é uma estratégia que visa:

  1. Fazer uma marca ser amplamente comentada pelo mercado;
  2. Causar um burburinho que propague sua marca no “boca a boca”‘;
  3. Divulgar seu produto e serviço de forma positiva.

Esse terceiro ponto é importante frisar, sua empresa pode cair no “boca a boca” de forma negativa também, portanto, cuide de sua reputação!

Mas, e o marketing viral?

Algumas pessoas confundem o buzz marketing com o marketing viral. Mas, se você está pensando que para conseguir gerar um burburinho da sua marca é só fazer um viral, saiba que embora sejam parecidos, o buzz e o viral são conceitos bem distintos quando analisados em profundidade.

A enfase do Marketing Viral é construir uma mensagem que seja altamente compartilhável e que siga de uma pessoa para a outra, como um vírus. Ou seja, fazer a mensagem se espalhar o máximo possível, atingindo o maior número de pessoas em todo o lugar.

Essa é uma estratégia muito usada por diversas marcas. Ela atinge as pessoas de toda a forma, mesmo aquelas que não sabem que sua marca existe e nem estão interessadas assim em saber. É claro que isso pode render tanto retorno positivo quanto negativo, e mutias vezes, ambos.

Já o buzz marketing não tem essa intenção de atingir qualquer pessoa em qualquer lugar. É só pensar um pouco, o marketing viral chega, acontece, causa aquele barulho todo e então some de forma quase tão abrupta quanto chegou.

Além disso, o buzz não visa atingir qualquer tipo de pessoa, mas sim o público já familiarizado com o produto, conceito e serviço da marca. Ou seja, o seu público alvo e clientes em potencial.

No buzz o objetivo é manter o consumidor entretido, conversando com a marca e sobre a marca, portanto, exige uma estratégia bem planejada, que seja capaz de fisgar o consumidor a médio e longo prazo.

2. Aplicando o Buzz Marketing no dia a dia

Se você é daqueles que acredita que o assunto das conversas seja na mesa do bar ou até mesmo nas redes sociais, é algo completamente aleatório, é melhor rever esse pensamento. Sim, é verdade que um dia as pessoas podem estar falando sobre o show daquele cantor famoso e no outro sobre o celular mais novo daquela marca conhecida.

A questão é que existe uma ciência por trás de todo esse bate papo: o buzz marketing.

Mark Hughes, autor do famoso livro Buzz Marketing destaca que é possível pautar as discussões das pessoas em suas casas, bares e mesmo no ambiente online. E vai além afirmando que empresas inteligentes saberão como se beneficiar disso.

Para isso ele apresenta seis assuntos que funcionam como o botão do buzz e uma vez acionados farão as pessoas comentarem o assunto repetidamente em todos os seus ambientes de convivência social. São eles:

  1. O tabu;
  2. O incomum;
  3. O extraordinário;
  4. O chocante;
  5. O hilário;
  6. O segredo.

Todos esses botões tem algo em comum: eles despertam um interesse natural em nosso cérebro, então quando vemos outra pessoa somos levados, movidos quase que inconscientemente, a falar a respeito. É aquela velha história “fulano tem que ficar sabendo disso”, “nossa, eu preciso contar isso para todo mundo” e por assim vai.

Isso acontece muito no nosso dia a dia com as fofocas e boatos, os famosos “babados”. A questão toda é saber usar esses gatilhos para que a “fofoca do momento” seja o seu produto, o seu serviço, a sua marca.

Vamos entender melhor cada um deles para que você possa aplicar tudo hoje mesmo. Mas, se depois de ler tudo você quiser aprofundar o tema ainda mais e entender os detalhes, dá uma olhada nessa ótima Resenha da obra de Mark Hughes.

O tabu

Esse é o botão do proibido. Sempre ouvimos aquele ditado de que “o que é proibido é mais gostoso”. Ou seja são aquelas coisas que todo mundo fala como se fosse um segredo e chama atenção justamente por ser tabu.

Não tem nada a ver com algo ilegal e sim com questões comportamentais, hábitos e costumes da sociedade. Por exemplo: até pouco tempo atrás um homem usar saia era um total tabu, afinal saia é roupa de mulher.

Então, quando surgiram os primeiros desfiles de moda apresentando esse traje ao público masculino, começou um burburinho sobre o assunto que ainda dura até hoje.

O incomum e o extraordinário

O incomum é ativado sempre que vemos algo que foge dos padrões que já conhecemos, já o extraordinário diz respeito a algo que é  algo que é positivamente incrível e cuja satisfação dos clientes é evidente.

O chocante e o hilário

Esses dois “brincam” com aspectos relacionados a emoções humanas muito primitivas, aquilo que nos choca e aquilo que ativa o riso, o humor.

Pense naquelas campanhas impactantes de conscientização sobre acidentes de trânsito, é chocante e justamente isso faz as pessoas falarem “olha você viu aquele comercial tal? É temos que ter mais cuidado no trânsito” etc. E assim está feito o burburinho.

Já o hilário é fácil de entender e fica marcado de forma tão impactante na nossa mente quanto o que é chocante. As pessoas adoram tudo que faça rir e se você tem um produto/serviço que possa ser vendido com esse tipo de mensagem a sua marca pode grudar como chiclete na mente das pessoas.

Os segredos

A curiosidade é uma característica natural do ser humano. Todos adoramos vasculhar segredos bem guardados e adoramos a experiência de ver tudo finalmente revelado.

Quer um exemplo? As pessoas assistem uma novela inteira, todo santo dia, só para saber finalmente no último capítulo quem mantou quem, quem foi que aprontou com quem e assim por diante. O segredo de não saber essas coisas faz com que acompanham a trama toda até finalmente tudo ser revelado.

Buzz Marketing

Percebe a diferença do buzz para o viral? Você quer prender atenção do público por um tempo muito maior. Com essas estratégias, o seu público vai comentar e indicar as soluções da marca, ajudando a aumentar o reconhecimento da sua empresa.

Portanto, o buzz marketing pode e deve ser feito paulatinamente, em campanhas bem montadas, com mensagens que vão se espelhar com força de forma progressiva e vão permanecer por um período muito maior na boca de todos.

Leave A Reply

Your email address will not be published.